Lao Tsé (VI a.c.)

O Tao que pode ser descrito não é o eterno Tao.

“Conhecer os outros é inteligência; conhecer a si mesmo é a verdadeira sabedoria.” [Lao-Tsé]

        Erudito do estado de Chu na antiga China fazia parte de uma classe social distinta para a época, onde se encontravam os administradores e conselheiros públicos. A cultura oriental, diferente da Ocidental concentrava seus estudos em comportamento social, parte deste direcionamento era essencial para o convívio de grandes populações com costumes, ideologias e crenças distintas. Pode ser desta necessidade de convivência de massas que a cultura oriental se tornou hoje menos fundamentalista no conceito religioso, onde não foi declarado um Deus soberano com regras restritas a serem seguidas; sendo adotado em contrapartida um conceito religioso de harmonia entre os seres e a natureza.

       

        Mantendo o conceito de convivência e harmonia, foi destacado também, que o ser humano para conseguir plenitude e saber deveria se dedicar a uma vida reflexiva e ponderada, onde o impulso e os desejos pessoais deveriam ser comedidos e controlados para bem comum da sociedade. Não existe um estudo a respeito, mas pode ser considerada a primeira menção sobre Id, Ego e Superego, onde respectivamente temos os desejos e impulsos pessoais que nem sempre vão de encontro com as leis e normas da sociedade em que se vive, e estes devem ser ponderados para que se construa uma sociedade plena. 

        Outra evidência forte de passividade condicionada à população pode ser encontrada nas definições de que o mundo e suas mudanças é um ciclo, onde não existe o ruim e o bom, mas sim alternâncias entre momentos da vida, e que estas mudanças atingem todos os seres de igual maneira. Enquanto a cultura ocidental preocupa-se inicialmente em tecnologia, fenômenos naturais, justiça e igualdade; os chineses tentavam entender a ética, preceitos morais, viver em harmonia através da reflexão, bem como alcançar estabilidade em um mundo de constantes mudanças.

        Se a cultura ocidental foi base para a ciência moderna, a cultura oriental foi base para a religião moderna, as principais religiões emprestam conceitos morais, éticos, solidários e de convivência entre os povos que foram estudados milhares de anos atrás; vale ressaltar também, que Lao Tsé foi o primeiro a mencionar um estado de perfeição único e inatingível pelos seres humanos – o Tao, conceito este, emprestado pelas religiões para descrever Deus como único ser capaz de atingir tamanha grandeza e perfeição. 

        Foi de sua filosofia também que nasceu conceitos políticos e de governo utilizados até hoje, tendo como linha principal a definição de que o estado deve ser justo e ético, ao invés de abusivo e autoritário; conceito que quando em crédulo por uma população evita revoluções, manifestações e até mesmo questionamento do poder. Caso se encontre reflexivo ou em sintonia com movimentos naturalistas como a Economia Verde que foi destaque em 2012 e com certeza será reforçada nos próximos anos, não se sinta tão especial, movimentos como este nasceram há muito tempo atrás e já foram reintroduzidos sem sucesso no romantismo e no movimento hippie de algumas décadas atrás.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s