Sidarta Gautama (563 a.c. – 483 a.c.)

Feliz aquele que superou seu ego.

“A paz vem de dentro. Não a procure fora.” [Sidarta Gautama]

“A Mente é tudo. O que você pensa você se torna.” [Sidarta Gautama]

        Intelectual nascido em Lumbini no Nepal, filho de nobres ricos teve parte da sua vida dedicada a luxuria material e sexual, deixou seus bens, família e estilo de vida para iniciar uma peregrinação pela Índia onde expos seus pensamentos filosóficos e conceito de vida plena, todos eles direcionados a entender o conceito de felicidade, virtude e uma vida correta. Seus pensamentos foram consolidados posteriormente pelos diversos seguidores que angariou durante suas viagens, tornando-se o que hoje conhecemos como Budismo; Sidarta Gautama é nada mais nada menos que Buda. Existe ainda hoje, no mundo ocidental, a confusão de que o Budismo trata-se de uma religião onde Buda seria o representante de Deus na terra, contudo vale ressaltar que o Budismo é uma doutrina de reflexão obtida pelo homem para o homem, diferente de muitas outras – como católicos, protestantes, judeus e Muçulmanos – que pregam mandamentos criados por um Deus e repassados aos homens por intermédio de seus representantes na Terra. 

       

        O Budismo, assim como a filosofia grega, era amparado no raciocínio lógico e tinha como principal fundamento a definição de que o sofrimento era um sentimento universal causado por ansiedade, desejos e apegos não concretizados. Para ter uma vida livre de sofrimento o ser humano deveria vencer sentimentos naturais como ego e vaidade; e a forma mais simples de vencer tais sentimento era seguindo o Caminho do Meio, que pregava uma vida de correta compreensão, consciência, ação, intenção, modo de vida, esforço, concentração e fala. Parte essencial para atingir a Felicidade também consistia em entender e se sentir confortável com a situação de que somos uma substância em transição e insignificantes para o Universo como um todo.

 
        Não sabemos ao certo porque Buda abdicou-se de toda sua riqueza e vida luxuosa, incluindo sua família, esposa e filhos em troca de uma vida simples e reflexiva; mas temos nele um exemplo explícito de um Ser Humano que não alcançou a felicidade através dos recursos materiais; não existem provas, mas de sua biografia deve ter brotado a expressão “dinheiro não traz felicidade”, o mesmo é válido para as diretrizes pessoais que devem ser adotadas para seguir o Caminho do Meio e então obter a felicidade plena; tão difíceis quanto seguir os conselhos de um livro de autoajuda qualquer. Complexidades à parte, o Budismo que nasceu na Ásia é hoje seguido em diversos continentes e estima-se uma aderência de quase 500 milhões de pessoas, não contabilizado os milhões que aderiram informalmente à sua filosofia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s