Aristóteles (384 a.c. – 322 a.c.)

A verdade está no mundo a nossa volta.

“Todos os homens têm, por natureza, desejo de conhecer.” [Aristóteles]

        Filósofo nascido em Estagiaria na Grécia, filho do médico da família real. Foi estudar na escola de Platão mudando-se para Atenas, durante 20 anos lecionou e aperfeiçoou seu aprendizado, muitas vezes em desacordo com seu mestre; após a morte de Platão que não o escolheu como seu sucessor renunciou a escola e foi estudar a vida selvagem. Voltou a Macedônia para educar o maior conquistador da história – Alexandre, o Grande; que o convenceu anos depois a voltar à Atenas e fundar sua própria escola. Com a morte de Alexandre e o sentimento anti-macedônico que ressurgiu, optou por saiu da Grécia morrendo um ano depois.

       

        Com pouco envolvimento político – temeroso pelo que aconteceu com Sócrates – defendia que tanto a política quanto o direito eram apenas áreas estendidas da ética. Para Aristóteles tudo no mundo era feito de algo (ex: ferro), possuía uma forma (ex: espada), causa eficiente (ex: cortar), causa final (ex: cortar ou enfeite); sendo a virtuosidade de qualquer coisa, desde objetos até pessoas, medida comparando sua causa eficiente contra sua causa final; ou seja, um olho cuja causa eficiente é enxergar só seria virtuoso se o mesmo enxergasse bem. 

        Enquanto Platão pregava o mundo ideal alcançado pela razão, Aristóteles tinha sua própria teoria, na qual todo conhecimento está no mundo onde vivemos e a verdade pode ser encontrada pela observação; enquanto Platão acreditava em uma alma que vinha do mundo ideal antes de nascermos garantindo-nos habilidade inata de conhecer o mundo, Aristóteles defendia o nascimento ingênuo e ignorante e que todo nosso aprendizado era adquirido durante nossas vidas restando para o Homem apenas a habilidade inata de aprender por observação e experiência. Sua boa capacidade de observação rendeu a primeira classificação das áreas de estudo (lógica, física, biologia, etc.) e também da vida na terra (vegetal, animal, réptil, canino, etc.). Foi também o primeiro a criar um sistema de lógica formal que permitiu inferir que se A é igual a Be C é igual A, então C também é igual a B.

        Em uma época de desconhecimento, Aristóteles inovou ao defender o Ser Humano como um ser ingênuo em seu nascimento sem capacidade para discernir o certo ou errado; conceito defendido atualmente por muitas religiões: onde as crianças sempre herdarão o reino do céu. Definiu o conhecimento do Homem como um produto da sua experiência de vida adicionado a sua capacidade inata de aprender com ela, seus estudos biológicos e científicos foram únicos, e alguns perduraram mais de 2000 anos, sua classificação de espécies foi utilizada por Darwin para criar a teoria da evolução, sua lógica é utilizada até hoje em sistemas computacionais e sua classificação dos estudos permitiram a ciência criar disciplinas de especializações. 

        Felizmente, Aristóteles utilizou sua habilidade de observação para classificar comportamentos e modelo políticos, suas anotações criaram novas perspectivas para sistemas democráticos e comportamento humano de massa; mas este é um assunto para outro momento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s