Blaise Pascal (1623 – 1662)

A imaginação dispõe de tudo.

“Corremos alegres para o precipício, quando colocamos pela frente algo que nos impeça de o ver.” [Blaise Pascal]

        Matemático nascido em Clermont-Ferrand na França; perdeu sua mãe aos 3 anos e foi educado por seu pai – um funcionário público interessado nas ciências exatas. Iniciou cedo sua carreira publicando seu primeiro texto – Teorema de Pascal – aos 16 anos; inventou uma das primeiras calculadoras mecânicas aos 18 anos para auxiliar seu pai nos cálculos exigidos por seu trabalho de fiscal. Criou a primeira empresa de transporte público, onde doava os lucros aos pobres; desistiu da matemática ao se converter ao catolicismo, dedicou-se então a filosofia até sua precoce morte pouco antes de completar 40 anos.
       

        Pascal iniciou sua carreira com interesse exclusivo em Matemática, juntamente com Pierre Fermat foram responsáveis pela criação da Teoria das Probabilidades e Análise Combinatória; foi responsável também por diversos teoremas na Geometria além de dar início aos estudos da Geometria Projetiva. Sua facilidade com cálculos era tamanha que definiu as primeiras regras para o estudo de sequências numéricas e o cálculo infinitesimal; foi pioneiro ao aprofundar na mecânica dos fluídos, estudo que rendeu boa base para o conhecimento em hidráulica existente hoje; a criação da unidade métrica “pascal” para mensurar pressão foi uma homenagem ao seu nome.  

        Após se converter ao Catolicismo desistiu da Matemática e dedicou a estudos sociais e comportamentais; afirmava que a imaginação, apesar de ser a arma mais poderosa do Homem era também a que mais o levava ao equívoco. Afirmou não existir explicação racional para a existência ou inexistência de Deus, contudo acreditar em sua existência nos garante a perspectiva de uma vida infinita e repleta de felicidade no Paraíso, é portanto, mais racional acreditar em Deus e ser feliz do que acreditar em sua inexistência e viver uma vida de aflição.

        É aterrorizante imaginar que antes de Pascal não existia probabilidade muito menos estatísticas; e hoje vivemos um mundo de relativismo aonde grande parte das teses em qualquer área da ciência vêm de padrões estocásticos, vivemos em mundo influenciado pela ciência, e grande parte desta está apoiada nas teses de Pascal. 

        O matemático foi um dos primeiros a criticar o uso equivocado de nossa imaginação, citou casos de como damos mais credibilidade e confiança a pessoas que são belas ou se vestem bem simplesmente porque nossa imaginação foi treinada para atuar desta maneira; criticou nosso conceito de justiça, beleza e lealdade; todos fruto da nossa imaginação muitas vezes equivocada. Ter uma vida espiritual, religiosa e de fé consiste em seguir, possivelmente, a imaginação equivocada de uma doutrina; uma vida de ciência e razão não é muito diferente, pois consiste em seguir, possivelmente, a imaginação equivocada de si mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s