São Tomás de Aquino (1225 – 1274)

O universo nem sempre existiu.

“Devemos considerar se há contradição entre algo ser criado por Deus e seu existir perpétuo.” [São Tomás de Aquino]

Teólogo e filho de Conde nascido em Roccasecca na Itália, estudou na Universidade de Nápoles e ingressou na mais intelectualizada ordem religiosa de sua época – Ordem Dominicana. Tornou-se mestre em teologia lecionando e escrevendo por mais de 10 anos; aos 48 anos refletiu e concluiu que não fizera nada mais que ninharia durante toda sua vida, viesse a falecer um ano depois. Suas obras foram tidas como hereges inicialmente, uma mudança de percepção o levou a canonização 50 anos após sua morte.

        Cristão devoto, nunca em seus textos fez oposição à fé e a doutrina pregada pela Igreja; contudo sua admiração pelas teorias de Aristóteles levou sua mente a discordâncias inclinando seus estudos na conciliação entre fé e razão. Ao unir a doutrina Cristã que pregava um mundo criado por Deus ao pensamento de Aristóteles de um mundo que sempre existiu e era infinito; concluiu que Deus criou o Universo de modo que este fosse eterno. 

        Defendia que o Homem adquire conhecimento limitado através de seus sentidos e possui como contrapartida seu intelecto inato para vislumbrar além destes limites; já Deus e seus anjos eram intelecto puro, e não precisando dos sentidos para o aprendizado, a verdade era entendida sem limites. Definiu o mundo como submisso a três leis, a Lei Divina revelada de Deus para os Homens era concretizada nos 10 mandamentos, a Lei Eterna é a lei natural do Universo tal qual como foi criada por Deus e pôr fim a Lei Positiva que era a lei dos Homens criada para melhorar o convívio próprio como sociedade.

        Apesar de nunca exposto em suas obras, existia um aparente conflito entre a fé cristã e a razão aristotélica; não sabemos ao certo o que refletiu como sendo perda de sua vida, se foi sua devoção aos ensinamentos da igreja ou falta de convicção em mostrar como a ciência e religiões se completavam. Com a crescente racionalidade da Ciência na época, Aquino mostrou de forma simples e humilde que a Fé é uma ferramenta importante não só para investigar o que acontece, mas também para explicar o que é possível e impossível. 

        Afinal de contas, as doutrinas de Fé são tão incoerentes e insensatas quanto os pensamentos Ateístas e a própria Filosofia. Crer no Homem como um ser criado do barro por Deus é tão absurdo quanto sermos o resultado de uma evolução que se iniciou a bilhões de anos por conta da colisão entre partículas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s