Adam Smith (1723 – 1790)

O Homem é um animal que faz barganhas.

“O consumo é a única finalidade e o único propósito da produção.” [Smith]

 “A ambição Universal do Homem é colher o que não plantou.” [Smith]

        Economista nascido em Kirkcaldy na Escócia foi um acadêmico prodígio e se tornou professor das Universidades de Edimburgo e Glasgow; trabalhou como tutor financeiro de aristocratas escoceses e foi consultor do governo britânico para assuntos econômicos. Publicou o livro a Riqueza das Nações, o que lhe rendeu o posto de maior economista que o mundo já conheceu.
       

        Adam Smith foi o primeiro estudioso a interpretar cientificamente o Homem por um ponto de vista comercial, concordou com Rousseau sobre a benevolência do Ser Humano, contudo enfatizou que o lado egoísta possui traços mais fortes que todos os outros, uma amostra disso consiste em que toda barganha comercial tem-se por objetivo atender o próprio interesse. 

Defendia o modelo onde famílias se especializavam para trocar sua mão de obra por dinheiro, e do uso deste para adquirir outros produtos necessários alcançando assim uma autossuficiência. 

        O mundo pós-invenção do dinheiro aliado a uma mão de obra fabril especializada e em constante atualização permitiram níveis de produção nunca imaginados; além de maior oportunidade a todos, exceto os incapazes que necessitariam de caridade e deveriam ser atendido pelo Estado. 

        O economista lançou a hipótese de um Estado voltada apenas à resolução de problemas como defesa, justiça e educação deixando o mercado livre para se autorregular através da lei da oferta e da demanda; restando ao Estado à criação de leis para igualdade universal nas condições de busca do trabalho. Foi deste Economista a primeira reestruturação sistemática de um estado para atender negócios internacionais além de propor a tese de que a riqueza de uma nação deve ser medida por sua capacidade produtiva e não pela riqueza de seus príncipes e sua reserva em ouro.

        As ideias de Adam Smith foram marcantes, seus princípios e resoluções econômicas permanecem como influência e modelo até hoje. O uso do PIB, ou capacidade produtiva, é utilizado como um dos principais indicadores de prosperidade de um país e a existência de mercados virtuais como a bolsa de valores e a internet ocorreram como o filósofo havia previsto. Países neoliberais como EUA são a essência de suas teses colocadas em prática; maior recompensa para quem se esforça mais e maximização individual como prosperidade coletiva são resultados de seus pensamentos. 

        O maior sucesso de Adam Smith, no entanto, veio de ideias que casavam com a necessidade burguesa emergente de sua época; criação de leis para regulamentar o dever dos trabalhadores, como as jornadas de 16 horas com um dia de descanso serviram de alavanca da produção para a Revolução Industrial Inglesa. 

        Nos últimos dois mil anos a direção do mundo vêm trocando de mãos – primeiro os mais Fortes, depois os mais Sábios, os Imperadores, a Igreja, os Reis, os Burgueses, os mais Ricos… O mundo resultado de Adam Smith é com certeza melhor do que o anteriormente existente, contudo seu modelo favoreceu apenas uma classe social que ascendeu ao trono há 200 anos e ainda desfruta de imensurável poder devido ao apoio ou esperança do povo. A concepção de Adam Smith gerou um mundo de iguais condições, porém não de oportunidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s