Equilíbrio Econômico (1834 – 1910 d.C.)

Um sistema de livre mercado é estável.

“O equilíbrio se reestabelece automaticamente assim que ele é perturbado.” [Léon Walras]

        A economia sempre fora uma ciência moral e ética, calçada na história e na filosofia, contudo um sentimento existia de que tal disciplina seguia regras e modelos matemáticos; foi então em 1851 que Francis Edgeworth e Joham Von Thünen introduziram nestas disciplinas as equações.
       

        O boêmio e justiceiro social Léon Walras iniciou sua atividade intelectual como professor em 1870 onde passou 40 anos defendendo a organização econômica da sociedade como ciência que deveria ser apoiada na matemática ou física. Nasceu então a teoria do equilíbrio econômico relacionando a oferta e procura bem como a escassez e o excesso de bens.

        Adicionou-se a equação a relação entre o trabalho e o capital e logo percebeu-se que a oscilação no preço de um bem, por exemplo o petróleo, poderia cancelar uma viagem de férias devido ao aumento dos gastos da família. Walras concluiu que um equilíbrio econômico é possível e só poderia ser encontrado em um mercado livre de interferência.

        Por construir um modelo complexo, Walras foi ignorado pelos economistas de sua época, contudo suas ideias ganharam sobrevida com seu aluno Pareto, foram corrigidas por John Von Neumann e posteriormente polidas pelos economistas Kenneth Arrow e Lionel McKenzie.

        Com o surgimento dos computadores foi possível criar o Equilíbrio Geral Computável que é hoje utilizado pelas mais diversas instituições, incluindo o Fundo Monetário Internacional, Para realizar avaliações econômicas em escopo global. As teorias de Walras continua hoje sendo uma das essências da economia moderna e é perpetuada através do ensino em economia de grandes universidades de todo o mundo.

        Kaynes foi um crítico de Léon Walras defendendo que a estabilidade sem uma interferência tardaria demais para encontrar o equilíbrio numa economia livre, e esta demora poderia ser angustiante para o Ser Humano; além de corrermos o risco de encontrar o equilíbrio num futuro tão distante onde não estaríamos vivos para colher os frutos.

        Qual a melhor maneira de se encontrar o equilíbrio econômico estável? Interferência do Estado ou um Livre Mercado? Sabemos que as interferências Estatais, independente de realizadas de forma honesta ou desvirtuosas criam efeitos colaterais indesejados como bolhas econômicas e desigualdade. 

Por outro lado, o Mercado Livre não teria interesse numa economia de equilíbrio, pois isto significaria oferta e demanda equilibrada o que minaria o acúmulo de bens acelerado através de um lucro alavancado. Léon Walras estava certo, economia é uma “arte”, contudo deveria ser amparada mais fortemente pela ética e valores morais do que fórmulas matemáticas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s