Abraham Maslow (1908 – 1970)

Todo homem deve ser o que pode ser.

“Se você só possui um martelo, tenderá a ver todo o problema como um prego.” [Maslow]

“Para mudar uma pessoa é necessário mudar a consciência que ela tem de si mesmo.” [Maslow]

Nascido nos EUA, estudou direito por desejo de seus pais, e depois psicologia por desejo próprio. Casou-se com sua prima contra a vontade da família e trabalhou em diversas Universidades, sempre tutelado por grandes psicanalistas e behavioristas.
       

        Porque estamos no Mundo? Qual o propósito da vida? Estas históricas perguntas na verdade escondem a confusão e necessidade do Homem em se satisfazer; para Maslow era na busca pela perfeição e auto realização que o Homem poderia atingir seu estado pleno. O psicólogo estruturou a busca pela autorrealização através de sua hierarquia de necessidades; dispostas em camadas que devem ser superadas até que Homem se realize.

        Na concepção de Maslow existiam dois grandes grupos de necessidades; o primeiro grupo são as motivadas pela deficiência e são as mais elementares como as fisiológicas (ar, comida, sexo), segurança (abrigo, emprego, estabilidade), amor (pertencimento, amizade, intimidade), autoestima (respeito, reconhecimento conquista); o segundo grupo são as motivadas pelo crescimentoe são as cognitivas (conhecer, compreender), estética (ordem, beleza), autorrealização (potencial pessoa) e autotranscedência (ajudar os outros a alcançar seu potencial).

        O autor ainda defendia que cada indivíduo possui um potencial para o qual foi talhado, e para se autorrealizar é necessário identificar este propósito, por exemplo, um artista nunca poderia se autorrealizar numa carreira de engenheiro; mesmo que todas necessidades sejam supridas. “Todo Homem deve ser o que pode ser”, foi uma de suas frases mais célebres.

        Talvez um dos psicólogos mais populares no ambiente corporativo, por ter suas ideias lecionadas e aplicadas na gestão de recursos humanos dentro de empresas, bem como em cursos de administração; não é raro ouvir frases apoiadas em alguns de seus conceitos durante discussões sobre motivação. Apesar de sua teoria de hierarquia ter sido contestada, foi um psicólogo de grande contribuição a psicologia humanista e era extremamente preocupado com a dignidade humana. 

        O que percebo hoje é uma distorção de seus pensamentos. A primeira distorção está na distinção clara entre indivíduos com curso superior e a aqueles que realizam trabalho braçal; enquanto o primeira é rotulado como motivado pelo crescimento, a segunda ficou rotulado como em busca da sobrevivência. É uma máxima inválida que afirma e reafirma a felicidade e virtuosidade apenas ao coelho que passa o dia todo correndo atrás da cenoura e que reflete boa parte da sociedade do conhecimento científico que temos hoje.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s