Wolfgang Köhler (1887 – 1967)

O instinto é um padrão dinâmico.

“O insight parece ser uma solução completa em relação a situação toda.” [Köhler]

“Interessante saber quantos avanços ocorreram por não se respeitar as barreiras entre disciplinas… Transgredir é uma das técnicas científicas de maior sucesso.” [Köhler]

Nascido na Estônia, doutorou-se em Paris; trabalhou na Academia de Frankfurt, dirigiu a Academia de Ciência da Prússia e o Instituto Psicológico de Berlim. Por discordar do Nazismo, mudou-se para os EUA onde presidiu a Associação Americana de Psicologia.
       

        Köhler criou juntamente com outros psicólogos alemães a Psicologia Gestalt, um movimento científico que defendia o estudo do todo ao invés de partes isoladas. Este movimento foi uma resposta ao behaviorismo por considera-lo simplista demais pois não observa a dinâmica e essência dos processos mentais. 

        Ao contrário de Pavlov ou Thorndike que pregavam o aprendizado animal através da tentativa e erro baseado em resposta-estímulo; mostrou em seus experimentos com chimpanzés, a capacidade de resolver problemas através da análise do ambiente e um processo mental que os levava a insights (ou ideias).

        Em seus experimentos percebeu que macacos faziam tentativas iniciais, que sem sucesso os levava a analisar a situação antes de continuar a atividade, após entendido o problema e obter sucesso na solução, a resolução era guardada e utilizada em outras atividades posteriores. 

        Para o autor, os animais utilizam de processos cognitivos de tentativa e erro e não processos concretos de tentativa e erro, portanto, a aprendizagem ocorria por conta do insight construído e não por conta de uma recompensa ou estímulo externo recebido. 

        Concluiu que o processo de aprendizagem se resume em tentativa, fracasso, pausa, percepção, insight, tentativa, contudo é difícil entender os detalhes deste processo por não ser possível visualizar o que ocorre dentro da mente do animal. Este padrão de aprendizagem, ativo e dinâmico através do insight, seria a maior influência e base que suporta o que chamamos hoje de instintos.

        Köhler fundamentou e deu início a uma vertente da psicologia conhecida como psicologia cognitiva que buscou entender os processos mentais de forma holística, ou analisando o todo. Esta abordagem nomeada de Gestalt, que não possui relação com a Gestalt-Terapia, se misturou as ciências da engenharia e tecnologias de comunicação para buscar um modelo para o funcionamento do cérebro humano.

        Não é preciso uma máquina do tempo para entender a base da cognição humana, os primatas são a história viva de milhões de anos atrás ao nosso alcance, e portanto, são essenciais no estudo e entendimento dos processos mentais. Discordaria das ideias de Köhler apenas quanto à sua crítica aos behavioristas. 

        Se os animais costumam agir primeiramente por uma tentativa, que se bem sucedida não requer uma análise ou insight, e que posteriormente será aplicada a outros problemas, o que impede de um condicionamento estímulo-reposta treinar uma decisão viciada que sempre será utilizada para sempre? Se o resultado do condicionamento agradar, mesmo que não seja a melhor opção continuará a ser repetida sem reflexão por anos ou até décadas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s