Simón Bolívar (1783 – 1830)

Um Estado grande demais acaba, por fim, decadente.

“O traço distinto da pequena república é a sua permanência.” [Simón Bolívar]

        Com a descoberta das Américas em 1492 por Cristovão Colombo a extensão do Império Espanhol se expandia cada vez mais; para auxiliar na administração deste novo e grande império um conjunto de aristocratas foram convidados a assumir parte da liderança em algumas regiões.

        Nascido numa família aristocrática, Simón Bolívar viu neste novo cenário de grande dinamismo um ponto fraco que poderia ser utilizado a seu favor, suas viagens a Europa após a formação militar o colocou de encontro com o pensamento Iluminista o que o levou a enxergar a América Latina como um novo mundo a ser construído.

 
        Quando Napoleão invadiu a Espanha e empossou seu irmão ao trono, Bolívar viu uma grande oportunidade para a América Latina se ver livre do Colonialismo; sua rebeldia lhe rendeu um exílio na Jamaica onde publicou a Carta da Jamaica. Em sua carta defendeu a ideia de repúblicas pequenas ao invés de impérios continentais, já que a maior função de uma república seria garantir a preservação, prosperidade e glória do povo e não se expandir cada vez mais. 
 
        Em sua perspectiva deveriam ser formadas 17 repúblicas independentes que não deveriam utilizar recursos próprios para entrar em guerra umas com as outras, já que a história mostrava que nações expansivas tendem a ser tiranas e viverem em instabilidade política.
 
        A intenção da criação das diversas repúblicas pequenas independentes foi bem sucedida, no entanto os ideais de liberdade Iluministas que Bolívar havia sonhado não foram alcançados à medida que todas repúblicas foram mantidas por uma elite aristocrática. Apesar de ser respeitado em toda a América Latina tem seu nome associado por muitos políticos populistas que executam ações às quais dificilmente o próprio Bolívar aprovaria.
 
        O personagem Simon Bolívar remete a outros políticos como Che-Guevara ou Fidel Castro, boa parte da associação se deve certamente ao apelo do ex-presidente venezuelano Hugo Chávez que se auto aclamava líder da Revolução Bolivariana, onde foi pregado uma espécie de neosocialismo ou o socialismo do século XXI como muitos preferiam apontar. 
 
        No entanto, Bolívar foi o responsável por trazer à prática alguns conceitos do Iluminismo para a América Espanhola, além de ser contrário a uma política de colonialismo e expansionismo de uma nação. Suas convicções sobre estados menores foram totalmente contrárias ao adotado pelo Império Português, que fugindo para o Brasil durante as guerras napoleônicas optou por manter um único e grande estado. 
 
        Hoje sabemos que grandes repúblicas podem existir estavelmente sem a existência de políticas expansionistas e talvez os ideais de Símon Bolívar poderiam ter trazido um resultado mais favorável à população latina se houvesse optado por manter a integração de uma única república não expansionista por toda a américa espanhola.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s