Quão Rápido Crescer?

Nada grandioso é criado repentinamente

“Uma lucrativa empresa pode ficar sem caixa ao tentar crescer velozmente, mesmo com produtos de grande sucesso.” [Neil Churchill e John Mullins]

Edward Hess possui mais de 30 anos de experiência no mundo dos negócios, sua especialidade é desvendar mitos e lendas da máxima empresarial onde crescer é sempre bom. Possui dezenas de livros e centenas de artigos onde aponta que empresas ao assumir o pensamento “crescer ou morrer” estão mais propensas de fato a “crescer e morrer”.

Surpreendentemente, umas das grandes razões que levam negócios a falhar é o seu rápido crescimento; ao estimular um crescimento demasiadamente rápido é comum empresas perderem o controle sobre o fluxo de caixa tornando-se vulneráveis a oscilações periódicas do mercado. Para equacionar este problema, Neil Churchill e John Mullins criaram o SFG, Self-Financeable Growth, uma metodologia que procura mostrar a capacidade de crescimento de uma empresa utilizando apenas financiamento interno. Este modelo considera três grandes aspectos: tempo em que o dinheiro está preso em inventário, dinheiro necessário para aumentar a venda em U$ 1 e a quantidade de caixa gerado para cada U$ 1 vendido.

Dominando o SFG a empresa é capaz de manter uma taxa de crescimento que seja sustentável. Caso o mercado esteja crescendo a taxas maiores que a sustentada pela companhia, Churchill e Mullins recomenda para acompanhar o mercado três ações: acelerar o fluxo de caixa, reduzir custos ou aumentar os preços. Contudo, um gestor deve entender que crescimento não se trata apenas de uma estratégia, e sim uma mudança complexa de processo que exige procedimento, experimentação e um ambiente interno propício para uma expansão adequada; caso contrário o crescimento pode se tornar uma variável de stress que abale a cultura e os processos, podendo até destruir os valores da empresa levando-a a falência.

Difícil encontrar um profissional no mundo, que não esteja inserido em uma organização cujo objetivo é crescer exponencialmente nos próximos anos; grande parte desta estratégia parte da premissa verdadeira que o Ser Humano é de fato uma espécie com grande capacidade de atingir metas; impressionante que mesmos as mais complexas podem ser atingidas com a pressão, direcionamento e orçamento adequados.

Mais raro ainda, é encontrar profissionais que estão inseridos em organizações cujo objetivo é crescer não apenas o faturamento, lucro e participação no mercado; mas também o corpo de pessoas com a competência correta e criar uma estrutura organizacional que seja sustentável. Apesar de celebridades; CEOs e Conselheiros são apenas Homens, e apesar de possuírem grande capacidade de motivação e busca por um objetivo carregam consigo os vícios de não se aprofundarem em assuntos que aparentemente estão bem encaminhados.

Hoje um destes vícios, está em acreditar que o crescimento financeiro deve ser acompanhado apenas pelo aumento do corpo de colaboradores, sem distinção de capacidade técnica, domínio tecnológico e claro, processos bem estruturados que sustentem escalabilidade e capacidade de atender de forma organizada os milhares de novos clientes que estão por vir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s