Proteja seu Principal Negócio

O principal para se lembrar é que o principal é a principal coisa.

“Se você não pode ser o melhor em seu principal negócio, então este não pode ser escolhido para formar a sustentação de uma grande empresa.” [Jim Collins]

Toda organização possui uma vasta quantidade de habilidade e tecnologia, os autores C. K. Palahad e Gary Hamel as chamaram de competências. Geralmente, estas competências são nutridas por uma competência principal que ao ser melhoradas com o tempo rende fruto vendidos na forma de produtos. A competência principal de uma empresa é sua maior força motriz e deve ser identificada para que possa ser acompanhada evitando seu enfraquecimento.

Assim como pessoas, organizações tendem a ter uma habilidade de destaque quando comparadas a tantas outras em que os concorrentes são melhores. Contudo na competição pelo mercado não existe espaço para empresas capazes em atuar em diversas áreas de forma mediana, pois uma concorrência especializada consegue maior qualidade e menores preços.

A partir de meados do século XX grandes empresas diversificaram seus negócios adquirindo companhias em outros setores, a estratégia de busca por novos mercados que inicialmente parecia adequada se mostrou defasada ao tirar da direção foco de seu negócio principal que estavam regredindo. Iniciou-se então um movimento de terceirização destes setores para regiões do globo cujos custos são menores, o que culminou durante o século XXI na inevitável venda destes ativos para que a companhia pudesse focar em suas competências principais.

A estratégia de terceirização não perdeu força nas últimas décadas, muitas empresas ainda preferem comprar ou entregar para outras empresas serviços que julgam não fazer parte de seu negócio principal. Contudo é preciso cuidado, enquanto uma terceirização pode ajudar a reduzir custos bem como dar foco para que a empresa reforce suas principais competências, ela também entrega valores intangíveis que se mensurados negativamente pelo consumidor podem causar um impacto colateral que enfraqueça o negócio principal.

Um bom exemplo consiste na terceirização da entrega de produtos adquiridos online, enquanto não faz sentido uma livraria adquirir uma frota de caminhões bem como administrar toda uma estrutura de logística sendo mais simples e barata terceirizá-la para quem tem domínio no setor, atrasos recorrentes na entrega podem trazer uma percepção negativa ao consumidor da própria livraria levando-o a buscar outros concorrentes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s