Lidando com o Caos

Caos traz desconforto, mas também permite crescimento e criatividade.

“Não existe razão para se prender ao passado, a estabilidade que buscamos nunca retornará.” [Tom Peters]

Enquanto a bolsa de valores caia vertiginosamente em 1987, Tom Peters lançou sua obra Thriving on Chaos onde citou que a estabilidade da produção em massa teria acabado sua fase e um mundo corporativo de constante e grandes mudanças tomara conta do novo mercado. Neste novo mundo as organizações mais bem-sucedidas seriam aquelas capazes de tirar vantagem de uma massa incontrolável de consumidores.

Uma estrutura organizacional hierárquica com o poder de controle e decisões centralizados nos gestores iniciou-se anos depois da revolução industrial e teve grande força até o século XXI. Contudo o avanço tecnológico e a velocidade que o mercado se altera gerou um caos difícil de se gerenciar, que tem exigido das organizações entregar maior autonomia aos funcionários para a tomada de decisões ágeis e precisas.

Contudo, entregar autonomia não é apenas uma questão de decisão, exige a criação de lideranças fortes, comunicação clara da estratégia organizacional e fortificação dos principais valores que devem ser seguidos. Os colaboradores precisam saber os limites de suas ações autônomas ou até mesmo das decisões tomadas em grupo. Sendo papel dos diretores atualizar a equipe organizacional constantemente baseado nos eventos que ocorrem no mercado e que podem impactar nos bens e serviços entregues pela empresa.

A reestruturação ou reorganização de companhias é um momento onde o caos entra em cena trazendo consigo desconfiança e medo, mas também novas ideias e capacidade de inovação. São nestes momentos que a empresa deve prover facilidade para a comunicação interna, onde uma das técnicas adotadas consiste na criação de workshops que ajude a disseminar boas práticas alcançadas dentro da empresa.

Palavras como autonomia e equipes auto gerenciáveis tem ganhado o holofote e o gosto popular, não por menos, quem melhor que os próprios integrantes de um time para saber a importância do que precisa ser feito, priorizar as diversas tarefas e otimizar a rotina do dia a dia? O maior ponto de atenção em uma estrutura descentralizada é garantir um alinhamento e que todos entendam o propósito maior da organização. Equipes que possuem liberdade comumente se aventuram em pormenores, se perdem na correria do dia a dia e não se preparam em tempo hábil para as mudanças que estão chegando. Por isso a comunicação executiva é tão importante, bem como o acesso direto a quem cuida do planejamento estratégico e a liberdade para se discutir todos os problemas abertamente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s