Immanuel Wallerstein

O sistema global moderno.

“As pessoas resistem a exploração. Elas resistem tão ativamente quanto podem e tão passivamente quanto devem.” [Immanuel Wallerstain]

“Imaginação nada mais é do que a busca por lucro no médio prazo para aqueles cujos ganhos no curto estão exauridos.” [Immanuel Wallerstain]

Filhos de pais poloneses judeus imigrantes, nasceu e cresceu nos EUA onde se formou na Universidade de Columbia e por fim lecionou em Yale. Apesar de trabalho em diversas áreas, foi reconhecido por abordar a Sociologia por uma perspective econômica histórica.

Immanuel Wallerstain descreveu um sistema global de economia onde países desenvolvidos exploravam recursos e mão-de-obra barata de outras nações menos afortunadas, segundo o autor, este modelo perpetuava a trajetória de pobreza e riqueza resultante do capitalismo industrial que fora sustentado pelo processo de colonialismo a partir do século XVI.

Ao contrário de Marx que focou na desigualdade e exploração entre classes, Wallerstain buscou entender como o mundo era economicamente organizado onde percebeu três classes de nações. As nações que pertenciam ao núcleo são as mais desenvolvidas, detentoras de produtos ou processo produtivo de maior tecnologia; as nações periféricas vivem economicamente da exportação de matéria prima crua e mão de obra barata enquanto as nações semiperiféricas são uma mistura das duas anteriores.

A relação comercial se reduz de modo que as nações do núcleo vendem seus produtos manufaturados para as demais nações com preços altos quando comparado ao que é adquirido. A exceção fica para as nações semiperiféricas que acabam realizando ambos os tipos de transações que no balanço final são vantajosas para com as nações periféricas e desvantajosas para com as nações nucleares.

Ainda segundo o autor, este modelo econômico global vinha se mostrando estável por séculos e pouco provável de mudança ou busca por um modelo mais igualitário. Mencionou que a “mobilidade social” tanto para cima quanto para baixo apesar de possíveis dificilmente ocorrem, pois tanto a força econômica quanto militar funcionam como uma barreira.

Podemos fazer uma analogia o modelo econômico global as classes sociais, com a diferença que ascender uma nação é algo muito mais difícil pois exige um projeto de amplo apoio, a ascensão do individuo pode se dar pelo trabalho intenso, acaso ou sorte, contudo isto não é verdade para uma nação.

A ascensão de uma nação requer comprometimento de longo prazo por ampla maioria que passa por aumentar o nível de educação e acesso a capital a muitos indivíduos. Não à toa, as poucas nações que se locomoveram foram as que conseguiram costurar um acordo político de longo prazo.

A má notícia é que grande parte o conseguiu apenas através de governos autoritários, a boa é que existem exemplos democráticos. O Brasil ainda está em uma posição favorável, apesar de um país semiperiférico, é rico em recursos o que simplifica a industrialização, mas visivelmente está fora do centro de inovação quando comparado aos países do núcleo. Os principais motivadores ainda estão na falta de capital, acesso a tecnologia, e principalmente baixo nível de educação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s